1° Moto Capital Farroupilha

Calor na ida, chuva na volta

Então, na sexta feira, dia 3 de fevereiro, o Facebook faz o favor de avisar que tenho um evento na qual eu havia sinalizado o interesse em participar, e vem na tela, o 1° Moto Capital Farroupilha, em Piratini, Rio Grande do Sul. Dei uma consultada rápida na internet a respeito da cidade, onde diz que a cidade é um dos 15 destino onde todo gaúcho deve ir antes de morrer, pronto, estava feito o desafio, nunca havia visitado a cidade de Piratini antes, sendo essa a primeira capital Farroupilha.

Vem o primeiro equívoco meu, como tenho a mania de ir e voltar por rotas diferentes, abro o aplicativo do Google, o Google Maps, e traçando a rota de Charqueadas para Piratini, o Google Maps me apresenta uma sugestão de rota por Encruzilhada, na qual encurtava uns 100 Km, comparada com a rota “mais rápida“, via BR-116, que o Google Maps havia me sugerido como sendo a mais sensata. Pronto, já estava planejado, ida por Encruzilhada e volta pela BR-116, e como não era tão distante assim, me planejo para um “bate e volta”.

Segundo equívoco, descido o “bate e volta” sem consultar a previsão do tempo, achava “impossível” chover no sábado, pois a sexta feira foi um dia muito ensolarado e de céu limpo, e no sábado pela manhã, estava perfeito, céu azul límpido, na minha percepção (equivocada) o sábado à noite seria de uma viagem perfeita, onde, iria viajar sob um céu de lua cheia e iluminada, erro meu, já já conto mais adiante.

Pois bem viventes, a ida foi mais que tranquila, a BR-471 é toda asfaltada e bem boa, não tem acostamento (até tem, mais é bem pequena), e nem trânsito, posso falar, sem sombras de dúvidas, que é a estrada com menos trânsito que já peguei, não tem “caça níquel do governo“, leia-se, pardais, e até que é bem conservada, sem muitos buracos. Entrei em Encruzilhada do Sul para abastecer, cidade bem legal, e segui, no trevo da BR-471 com a BR-392 tem um posto bem grande, o Fitazul, foi onde me informei sobre a RS-265, que é a estrada que chega até Piratini, o frentista do posto me disse que esse trecho é de estrada de chão, ruim por sinal, e que era melhor eu seguir até Pelotas, via Canguçu e depois subir a BR-293 e acessar a RS-702 chegando até Piratini, pego o celular e traço a nova rota, AUMENTOU APROXIMADAMENTE 100 Km, pronto, já furou minha pretensão de chegar antes do meio dia lá. Encho bem o tanque da BMW S1000RR e sigo pela rota “asfaltada” que o frentista me aconselhou.

Depois de rodar muito, chego a Piratini, depois de procurar um pouco, e me perder na cidade umas 3 vezes, acho o local do evento, faço a inscrição e já começo a me reabastecer, pois o calor era MUITO grande, não ventava, era só CALOR, tomei umas 10 Polar Latão, que salvou o meu dia. Já aproveitando vou falar, evento com os preços de comida e bebida mais em conta que já fui, latão a 5 pila ou três por 10, quer coisa melhor, sim tem melhor, Polar Latão a 5 pila ou três por 10 SUPER GELADA… Mais SUPER GELADA, pronto, fiz uma conta com a Menina que atendia no bar. Reencontrei alguns amigos e bati um papo com a organização. O evento foi realizado somente com recursos próprios, os kras são corajosos, fizeram um bom evento, com bons shows e boas atrações utilizando verbas provenientes de venda de espaços para os comerciantes, venda de camisas e uma Rifa.

Como o calor estava insuportável, e minha conta no bar estava ficando alta, me informei com o pessoal da organização, se na cidade havia algum balneário, pois como um rio cruzava a cidade, existia essa possibilidade, e “sim”, respondeu ele, me indicando o local. Comprei uma bermuda em uma das lojas do evento e rápido feito flecha fui para o balneário da cidade. Pronto, agora sim, o lugar é bem bonito, e finalmente consegui me refrescar… Depois do banho de arroio (era um rio, mais estava tão sequinho que chamei de arroio) visitei alguns pontos turístico da cidade e tomei um café da tarde bem bom. Voltei para o evento e segui o baile, curtindo os shows, bebendo Polar Latão a 5 pila ou três por 10 SUPER GELADA… Nossa, não canso de repetir. No meio de um dos shows, que foi realizado em área coberta, escuto um barulho de chuva, saio para ver e pronto, CHUVARADA, já penso: -Puts, ferrou minha volta. Como não podia fazer nada, volto e espero o show do Kid Cegonha acabar para ir embora.

Terceiro equívoco, analisando a chuva, penso, tranquilo, não esta tão forte… Me enganei em todas as formas geométricas possíveis, choveu de Piratini até Charqueadas, foi água no lombo o caminho todo, e para piorar, como fez muito calor, a asfaltou levantou uma nuvem de vapor de água, rapaz… Embaçou todo o capacete, visão ficou muito prejudicada, a solução foi baixar a velocidade e seguir, resumo da “indiada”, sai de Piratini a 1:00 da manhã, cheguei em Charqueadas por volta das 6:00 da manhã, com o dia “quase” nascendo.

O que aprendi com tudo esses equívocos, capacete com Pinlock, não deixe de comprar o seu, principalmente se o teu capacete tem o rebaixo para Pinlock… Erro meu. Verificar a previsão do tempo, um bonito amanhecer não é certeza de nada! Piratini não fica logo ali, é bem longe.

De erros e acerto, o maior acerto foi ir até Piratini e prestigiar o evento, gostei muito, recomendo.


Resumo pontuação

Gostei: Bebida barata, comida barata, lojinhas com artigos motociclísticos, área coberta para shows, área coberta para expositores, área coberta para camping, local do evento em parque fechado, banheiros limpos, show de manobras.
Não Gostei: Não vi segurança no local, não havia indicação de como chegar no local do evento, não tinha guarda volumes, apesar do parque ser fechado o mesmo tem pouco infraestrutura.

Placar: 70/100 (Bom evento)
Mais detalhes do placar na página 2.